Criptomoedas na mídia – Ninguém é melhor que você

Ninguém é melhor que você no universo das criptomoedas, talvez você esteja começando a estudar sobre bitcoin, altcoins e assuntos relacionados.

O fato de outras pessoas estarem a mais tempo neste universo e terem mais seguidores no Youtube e/ou outras mídias sociais não faz delas melhores que você.

Simplesmente estão a mais tempo, de repente já passaram por outras fases na história das criptomoedas, mas definitivamente, nem eu, nem ninguém, é melhor que você !

Você têm a chance de começar algo único, de criar o seu espaço de trabalho e ser a pessoa que vai revolucionar este mercado.

Na sequência eu utilizei um nome diferente para informar sobre usuários em criptomoedas que utilizam uma mídia específica.

Abaixo o áudio deste artigo

Criptomoedas na mídia e a vida do “Youtubercoin”

Você deve saber que o Youtube é hoje em dia uma das melhores plataformas para compartilhar informações, ideias, divulgar produtos etc.

A mídia é maravilhosa, mas o problema está nas pessoas,simplesmente porque o Youtube passa a impressão de que os seus seguidores possuem controle sobre você.

Independente do conteúdo que você compartilhe, na maioria das vezes, irão aparecer os famosos “deslikes” em seus vídeos.

Isso não significa na maioria das vezes que as pessoas não gostaram do seu conteúdo, mesmo porque muitos nem assistem o vídeo e deixam um “deslike” simplesmente porque não gostam da sua capa do vídeo.

É claro que falo aqui de informações que são passadas com o mínimo de qualidade e cuidado para ajudar as pessoas e não de vídeos que divulgam algo que possa prejudicar.

A questão é que divulgar empresas, produtos, serviços, video tutoriais e outros irá incomodar alguém de alguma maneira, seja pela divulgação ou simplesmente pelo seu tom de voz;

O importante é você, antes de divulgar algo, procurar fazer o melhor trabalho , para isso pesquise na fonte, não inspire-se somente através de informações vindas de outras pessoas.

Aproveite esta fase em que o Youtube é uma das melhors mídias para divulgação de conteúdo, mas nãodependa somente dela, tenha o seu blog.

Criptomoedas na mídia e a vida do “Blogueirocoin”

Alguns dizem que os blogueiros estão em extinção, mas isto não é verdade, os blogueiros nunca estiveram tão ativos.

O que acontece é que o Bitcoin “estourou” na mídia em uma época em que o Youtube já estava em alta, então nada mais comum do que esta ser a mídia que mais atrai as pessoas.

A questão sobre blogs está relacionada ao tipo de trabalho que deseja fazer, um site ou blog são excenciais para mostrar as suas ideias.

O melhor é que ninguém vai tirar o seu blog do ar ou mudar alguma regra, ele é seu e a responsabilidade sobre as informações compartilhadas é sua.

Blog de notícias sobre criptomoedas

Este é o mais comum hoje em dia e deve mostrar diariamente, ou pelo menos 2 vezes por semana, as notícias sobre Bitcoin e outras altcoins.

Este tipo de blog possui duas vertentes, você deve ter cuidado com as informações que repassa e as pesquisas devem ser feitas em sites estrangeiros, na maioria das vezes.

Blogs sobre criptomoedas nacionais fazem basicamente isso antes de informar algo, mas são muitas informações e nem sempre o tempo é suficiente para passar tudo o que aparece.

Eu aconselho a utilizar blog de notícias quando a pessoa possui tempo para pesquisar e postar diariamente, assim os resultados serão melhores e mais rápidos.

Blog de um determinado assunto

O meu blog está agora com o assunto central , “Marketing de Criptomoedas” , mas eu comento também sobre notícias e faço avaliações de exchanges, criptomoedas e outras informações.

Perceba que quando eu informo no meu curso grátis e em outros artigos que você deve focar em um público específico não quero dizer que não pode falar de mais nada.

É necessário, além do assunto central, comentar sobre outras coisas, principalmente para atrair pessoas que podem gostar do seu conteúdo, mas ainda não sabem disso.

Criptomoedas na mídia e a vida do “Facecoin”

O Facebook é uma das mídias sociais mais conhecidas, mas já teve dias melhores.

Perdeu milhares de pessoas, inclusive empresas famosas, devido ao uso indevido de informações dos usuários.

A questão é que o Facebook ainda é a mídia mais utilizada e até o momento não apareceu nada com o memso potencial, sendo assim por enquanto não podemos deixá-la de lado.

O ideal para quem mostra informações sobre criptomoedas no Facebook é “não compartilhar links diretamente” , mas subir parte do seu vídeo, ou do seu artigo, convidando a pessoa a assistir o conteúdo completo na fonte principal.

Isso faz com que o Facebook mostre o seu conteúdo para mais pessoas, caso não saiba quanto mais as informações que compartilha estiverem dentro do Facebook mais seguidores serão avisados sobre isso.

Artigos no Blog seguem o mesmo caminho, poste uma imagem, escreva informando sobre o seu artigo e convidando as pessoas a lerem o conteúdo completo no blog.

Criptomoedas na mídia e a vida do “Twitcoin”

O Twitter cresceu muito e deixou de ser apenas um local para postagem de links.

Sabe-se que os usuários utilizam a quantidade de caracteres oferecidos pelo Twitter para fazer verdadeiros debates.

Pessoas influentes e formadoras de opinião no mundo das criptomoedas utilizam muito esta mídia, em grande parte é no Twitter que mostram as novidades.

Sendo assim caso não utilize você deve utilizar o Twitter, hoje pode-se subir imagens, vídeos ou apenas compartilhar ideias escritas.

O que nos leva a outra mídia que utiliza imagens na comunicação, o Instagram.

Criptomoedas na mídia e a vida do “Instacoin”

O Instagram é hoje uma das mídias sociais mais utilizadas e eu confeço que não pensei que ela ia chegar onde chegou.

A questão de não poder compartilhar links nas postagens de fotos, a não ser que sejam pagos, parecia ser um problema.

Eu mesmo sou usuário do instagram e coloco o endereço de minhas postagens na descrição das imagens.

Já percebi que muitos acessam meus artigos no blog e vídeos no Youtube copiando e colocando o endereço no navegador.

Enfim, consigo boa parte dos acessos pelo Instagram, sem pagar por isso, mas é claro que mídias pagas geram mais visitas.

As criptomoedas estão em todos os lugares e você não pode deixar o Instagram de lado, aproveite para postar imagens do dia a dia.

Isso chama a atenção das pessoas, elas gostam de saber mais sobre quem seguem.

Conclusão sobre Criptomoedas na Mídia

É claro que existem muitas outras mídias que podem ser utilizadas para divulgar conteúdo sobre criptomoedas, mas estas são as que eu julgo mais utilizadas.

A questão está em o que e como você posta as informações, por exemplo, é muito mais fácil compartilhar um link do que fazer uma nova postagem em cada dia.

Isso acaba fazendo com que poucos tenham resultados realmente positivos, faça um esforço e comece a tratar cada mídia social como se fosse única.

Isso aumentará as suas chance de conseguir mais seguidores e consequentemente mais ganhos no seu negócio.

Obrigado pela visita

Deixe seus comentários e compartilhe este artigo !

Deixe uma resposta

Siga-me Pelo Telegram

Você pode seguir o meu trabalho pelo Telegram

Seguir Agora ! Fechar